Você está aqui
Home > Destaque1 > NOVA CENTRAL DA PARAÍBA PARTICIPA DE ATO EM DEFESA DA DEMOCRACIA E ELEIÇÕES LIVRES

NOVA CENTRAL DA PARAÍBA PARTICIPA DE ATO EM DEFESA DA DEMOCRACIA E ELEIÇÕES LIVRES

Ato unificado reuniu entidades sindicais, movimento estudantil, movimentos sociais, populares e indenitários no centro da capital paraibana. “A Nova Central jamais se refutou de suas responsabilidades, sobretudo diante das graves ameaças às estruturas democráticas e ao serviço público brasileiro”, reforçou Antonio Erivaldo, presidente da NCST/PB

 

No último sábado (10/09), lideranças da Nova Central Sindical de Trabalhadores do Estado da Paraíba – NCST/PB participaram do “Ato Unificado: Fora Bolsonaro: Em Defesa da Democracia e por Eleições Lives + Grito dos Excluídos”. O ato reuniu entidades sindicais, movimento estudantil, movimentos sociais, populares e indenitários que percorreram as principais ruas do centro da capital paraibana. A mobilização ocorre a três semanas das eleições que irão definir os rumos econômicos e políticos do país. Na avaliação dos organizadores, “a eleição mais decisiva de todos os tempos”, diante de projetos antagônicos em disputa.

“Diante de um país com tantas carências, Bolsonaro conduzir uma agenda política pelo fim dos serviços públicos por meio da PEC 32, demonstra seu total descompromisso com o cidadão  e a sociedade em geral, que depende destes serviços para ter o mínimo de dignidade no atendimento de suas necessidades mais primárias. Repetir sem o menor pudor e em período de campanha que a reforma administrativa continuará sendo uma de suas ‘prioridades’, demonstra a desumanidade de um candidato que já não merece o respeito e a confiabilidade dos eleitores que um dia confiaram seu voto a ele. É preciso esclarecer as pessoas sobre a dimensão dos riscos que este país atravessa”, alertou Antonio Erivaldo, presidente da NCST/PB.

O líder sindical, que também é presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado da Paraíba – Sindspol/PB, reforçou que o atual presidente da República acenou com muitas promessas não cumpridas.

“Juntos às categorias de segurança pública Bolsonaro só olhou para os militares na reforma da previdência. Sua equipe de governo realizou reuniões com as demais categorias que, ao final e ao cabo, só resultaram em promessas vazias e frustrações. Escravo de uma agenda que congela investimentos públicos mas libera o aumento com despesas financeiras, o que se observa é o sucateamento dos serviços públicos e a desvalorização salarial das categorias frente uma inflação galopante, com a maior alta dos últimos 23 anos. O descaso com a segurança pública está sendo outra triste marca deste governo que não deixaremos cair no esquecimento”, a exemplo da Lei Orgânica Nacional das Policias Civis do Brasil cujo projeto foi construído com o consenso da COBRAPOL e ADEPOL/NACIONAL e foi descartado pelo atual Ministro da Justiça e Segurança Pública Anderson Torres, reforçou o presidente da NCST/PB e SINDSPOL/PB.

Antonio Erivaldo concluiu: “A Nova Central jamais se refutou de suas responsabilidades, sobretudo diante das graves ameaças às estruturas democráticas, a soberania nacional e ao serviço público brasileiro. Quando estas estruturas indispensáveis ao bem-estar social estão ameaçadas, nós sempre assumiremos uma posição política firme, corajosa, em favor do nosso povo e do nosso país!”

 

Fonte: Assessoria da NCST/PB

 

 

 

Top